Resenha - LOUD (Rihanna)



Depois do contraditório "Rated R", Rihanna resolve dar a volta por cima, esquecer dos problemas envolvendo Chris Brown, e lançar LOUD, um album festivo, e super divertido.

LOUD é um album em tanto, está recheado de canções poderosas e viciantes, além de um conceito super original. Desde o anúncio, Rihanna afirmou que queria fazer algo com a cara dela, e não algo que Ke$ha ou Gaga fariam, como o modismo deseja que seja. Realmente, ela conseguiu o feito. As canções de LOUD tem o selo de qualidade "Rihanna", pela sua originalidade e qualidade.

LOUD é um album que elimina as contradições de Rated R e investe em algo suave. Todo aquele clima macabro e de música "negra" que caracterizaram o último CD, foram deixados para trás, para investir em uma Rihanna mais festiva, de bem com a vida. Um exemplo disso, é a canção "What's My Name" com a participação de Drake. É evidente a felicidade de Rihanna ao longo da canção. Only Girl (In The World) também é uma canção interessante. Ela abriu a promoção do álbum com elementos techno, até então desconhecido pelos albuns de Rihanna lançados ao longo de sua carreira. Participações é algo que não falta em LOUD. Rihanna contou com o apoio de Drake, Nicki Minaj e Eminem. Além do time de produtores do Stargate, Alex Da Kid e Pollow Da Don.

LOUD porém, não é um album perfeito. Apesar da imagem de festividade que tenta trazer, algumas das canções parecem mostar uma Rihanna mais "ínspida". Rihanna poderia ter apostado em canções mais felizes, para realmente enfatizar o que ela tenta trazer com este album. Como se isso não bastasse, LOUD é um album relativamente, muito curto, com apenas 11 músicas, pessoas que gostam de variedade poderão se enjooar facilmente com o album.

Canções Notáveis:

S&M - O Álbum já é apresentado com uma canção viciante e super divertida relativa ao sadomasoquismo. A canção é uma das mais festivas do album, e conta com os novos elementos Techno que Rihanna experimentou no album. Quem se prendeu as raízes de Rihanna, pode se surpreender com a atitude mais vulgar e matura da cantora.

California King Bed - California King Bed, é uma canção de clima acústico, com elementos do rock, que parece que não vão ser deixados para trás tão cedo. Desde Good Girl Gone Bad, esse tipo de elemento vem sendo incorporado nos albuns de Rihanna. E de forma, muito bem feita. A canção conta com composição forte caracterizada com um clima de tristeza, porém inspirador.

Man Down - Man Down parece voltar as raízes de A Girl Like Me com um estilo puxado para o Reggae, porém, com elementos sensatos que foram descobertos ao longo da carreira de Rihanna. A canção é divertida, mesmo que sua composição envolva a história de uma tragédia. Um feito curioso feito pelo time de produtores envolvido, e Rihanna, obviamente.

Skin - É a canção mais longa do album. Conta com 5:03 min sobre puro sexo! É uma canção mais calma, mas não chega a ser uma balada. Skin, conta com instrumentais de guitarra misturados com sintetizadores eletrônicos, de fato, uma produção curiosa.

Love the Way you Lie (Part II) - Feat. Eminem - Para alguns, essa canção não pode parecer algo muito novo. Trata-se de uma nova versão do Mega Hit "Love the Way you Lie" de Eminem, porém com vocais predominantes de Rihanna. É uma versão mais lenta do que a original, mas não deve em nada em termo de qualidade.

NOTA FINAL: 9/10 (Excelente)

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

1 comentários:

Luks disse...

De tanto que você ouvia esse CD, eu resolvi escutar pra ver se era bom. E me surpreendi! Esse álbum é excelente! Até eu estou viciado agora =D

Postar um comentário